Bioquímica Clínica On Line

20 de maio de 2012

DIRETRIZ – Deficiência de vitamina D em crianças

 

Resumo

Este artigo traz os principais pontos da diretriz da Sociedade Americana de Endocrinologia a respeito da avaliação, do tratamento e da prevenção da deficiência de vitamina D em crianças.

Contexto clínico

Atualmente, têm sido divulgadas muitas publicações que relacionam a deficiência de vitamina D com diversas doenças, levando muitos médicos às desnecessárias investigação de possível deficiência ou reposições. Trazemos aqui um resumo dos principais pontos abordados nesta diretriz da Sociedade de Endocrinologia dos EUA a respeito da avaliação, do tratamento e da prevenção da deficiência de vitamina D em crianças.

A grande mudança desta diretriz quanto à população pediátrica é o aumento das necessidades diárias de vitamina D em crianças a partir de 1 ano de idade:em vez de 400 UI/dia, precisam de 600 UI/dia. Também é importante ressaltar que não se recomenda rastreamento para toda a população, apenas para grupos de maior risco.

Principais pontos

1. O rastreamento de deficiência de vitamina D só é recomendado em indivíduos de alto risco. No entanto, o risco da deficiência de vitamina D não é muito bem definido na população pediátrica. Os fatores que podem ser considerados de risco são:

amamentação exclusiva sem suplementação de vitamina D;

pigmentação escura da pele;

deficiência materna de vitamina D.

2. A deficiência de vitamina D é definida por um nível sérico de 25-hidroxi-vitamina D (25[OH]D) < 20 ng/mL (ou 50 nmol/L). Essa definição é consistente com relatório recente do Institute of Medicine, que faz parte da Academia Americana de Ciências, e tem como foco a base em evidências.

3. Necessidades diárias: crianças de 1 a 12 meses precisam de pelo menos 400 UI/dia de vitamina D.

4. Necessidades diárias: crianças de 1 a 18 anos precisam de 600 UI/dia de vitamina D.

5. Crianças com deficiência de vitamina D devem receber 2.000 UI/dia de vitamina D2 ou D3, ou 50.000 UI de vitamina D2 ou D3 1 vez/semana por 6 semanas.

Bibliografia

1. Holick MF et al. Evaluation, treatment, and prevention of vitamin D deficiency: an endocrine society clinical practice guideline. J Clin Endocrinol Metab 2011 Jun 6; [e-pub ahead of print]. (http://dx.doi.org/10.1210/jc.2011-0385) (Fator de Impacto: 6,202).

2. IOM (Institute of Medicine). 2011. Dietary Reference Intakes for Calcium and Vitamin D. Washington, DC: The National Academies Press. [link para a publicação].

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: